Páginas

Ajudando o papai...

Eu estava passando por uma fase difícil, dessas pelas quais todo mundo passa de vez em quando.
Um filho com problema de saúde, trabalhando 12 horas por dia e com o dinheirinho contado para dar conta das despesas.

Para completar, eu tinha um Fiat 147 (acredite, ainda não era esse o maior problema) e, desatento a um semáforo vermelho em Belo Horizonte, passei direto e bati em 2 carros. Para resguardar meu bom nome, usei minhas reservas para pagar os prejuízos causados aos terceiros e resolvi fazer uma lanternagem caseira, apenas o suficiente para continuar usando o carro até poder consertá-lo definitivamente.

Peguei uma marreta, alguns pedaços de madeira, um tapete para me deitar no chão e, munido dos apetrechos, comecei por desamassar o para-lama dianteiro, aplicando-lhe fortes marteladas.

Após alguns minutos de cansativo trabalho, fui até à cozinha tomar um copo d’água, quando ouvi, proveniente da garagem, um estardalhaço característico de vidros se quebrando. Fui correndo e surpreendi minha primogênita com a marreta na mão, um sorriso no rosto e apontando para o farol todo quebrado, ao mesmo tempo que dizia com ar de dever cumprido: - Ajudando o papai!

Um comentário:

Aline disse...

Ao mesmo tempo em que me emocionei, ri muito. Que história mais linda do mundo....

Que bom você poder compartilhar isso, obrigada, viu?

Bjs grandes para você e toda sua linda família.