Páginas

Benchmarking desastroso

Quando eu era criança pequena lá em Caratinga, ouvia de um tio muitas fábulas. Uma delas, que me lembro com bastante detalhes, pois achava muito engraçada, era sobre o drama vivido por um pavão e um urubu.

O pavão vivia se queixando de ser tão belo e não conseguir voar, fato que lhe causava muita inveja do urubu. Por outro lado, o urubu se sentia perseguido pela Criação, pois além de horroroso tinha que voar e expor toda a sua feiura nos ares, tornado-se assim alvo fácil da ridicularização de todos.

Até que um dia eles resolveram se unir e, após uma rápida conversa, tiveram a ideia de ter um filho. Segundo conta esta lenda, foi assim que surgiu o peru, que é medonho e não voa.

Meu tio encerrava a narração com a moral da história: contente-se com o que você tem, pois sempre pode ser pior.

Hoje vejo esta história se repetindo em algumas organizações. Através do processo de benchmarking uma empresa consegue identificar o que a outra faz melhor que ela. Porém, na hora de implantar, não olha com o devido cuidado a organização como um todo, sua identidade, valores, processos e recursos, resultando muitas vezes em algo desastroso.

Nenhum comentário: