Páginas

28 anos


Há vinte e oito anos
Com a mocinha me casei
Hoje vejo os mesmos olhos
Porque me apaixonei.

Unimos nossos sonhos
E juntos fizemos planos
Construímos tanta coisa
Nunca nos abandonamos.

A moça virou mulher
E desvelou seus encantos
Aprendeu o que quer um homem
No amor,

quando está em prantos.

Hoje estou muito feliz
Com a minha namorada
Tenho a família que eu quis
E a mulher apaixonada.

Conserve Deus este prêmio
Tão nobre, tão transcendente
Vinte e oito anos mais
Se puder,
Eternamente!

1º de Maio de 2009

3 comentários:

Melina Beatriz Rocha disse...

que privilégio o meu ser fruto desse amor!!!!

**gabyy** disse...

previlegio seu e com certeza de muitas mulheres que esperam um dia encontrar uma pessoa sensivel como este meus parabens.

Joyce disse...

Que lindo! amei.